Digimax Medicina Diagnóstica

Pesquise notícias do nosso site

Filtre as notícias por categoria

Mitos e verdades sobre cálculo renal 

O cálculo renal, popularmente conhecido como pedra nos rins, é famoso por seu principal sintoma, a dor intensa que começa na lombar e se irradia para o abdômen.


Estimativas do Ministério da Saúde mostram que cerca de 12% dos homens e 6% das mulheres terão pedra nos rins durante sua vida. Apesar de ser popular por suas condições dolorosas, o cálculo renal nem sempre tem sintomas, fazendo com que sua presença passe despercebida.


Os fatores de risco para o desenvolvimento do cálculo renal são diversos, vão desde uma alimentação inadequada até alterações anatômicas, por isso, são cercadas por mitos e verdades. Para lhe ajudar a entender mais sobre as causas para as pedras nos rins, desenvolvemos uma lista com as principais mitos e verdades do cálculo renal.


1. Excesso de sódio pode provocar pedras nos rins


Verdade! O consumo do sódio em excesso impede a absorção de cálcio pelo organismo, sendo eliminada na urina, causando um acúmulo de pequenos cristais nos rins, aumentando as chances de desenvolver a doença.


É necessário atenção na alimentação, somente reduzir o uso do sal não é a solução. Embutidos e industrializados contém altos níveis de sódio na sua composição, por isso são grandes vilões do cálculo renal.


2. A doença atinge mais idosos


Mito! A idade avançada é um fator de risco do desenvolvimento das pedras nos rins, porém a principal faixa de idade afetada pelo cálculo renal é entre 20 e 50 anos, podendo também ocorrer na infância.


3. A mesma pessoa não vai ter pedra nos rins mais de uma vez


Mito! Pelo contrário, uma pessoa que já teve cálculo renal tem mais chances de desenvolver a doença novamente, principalmente o cálculo de cálcio.


4. A ultrassonografia de rins e vias urinárias tem efeitos colaterais


Mito! A ultrassonografia de rins e vias urinárias é utilizada para complementar e obter um diagnóstico assertivo da doença. Mas, ao contrário das dúvidas, não é invasiva e não tem efeitos colaterais.


Como as pedras nos rins podem não ter sintomas, a ultrassonografia de rins e vias urinárias é um importante exame para constar no check-up anual, possibilitando um diagnóstico precoce e um tratamento rápido para a doença.


5. Bebidas alcoólicas causam pedras nos rins


Verdade! Assim como o sódio, as bebidas alcoólicas em excesso podem ser um fator para o desenvolvimento da doença, porém não é a principal causa para as pedras nos rins.


As bebidas alcoólicas são um fator de risco para o cálculo renal, pois, quando consumidas em excesso, reduzem o metabolismo do ácido úrico.


6. O verão é um fator de risco


Verdade! Durante o verão é comum ficar desidratado, a falta de água no organismo é um dos fatores para a formação das pedras nos rins.


A falta água prejudica a circulação do sangue e dificulta o trabalho dos rins na hora de excluir os nutrientes que não são necessários para o corpo, como minerais, cálcio, sódio e magnésio, vilões para o desenvolvimento dos cristais nos rins.


Como você viu, o excesso, seja de sódio ou bebidas alcoólicas, é um dos grandes inimigos para manter o bem-estar e saúde em dia.


Ao perceber qualquer sintoma, procure um médico.

Siga a Digimax no Instagram e curta no Facebook e continue vendo dicas para sua saúde.


  • Compartilhar