Digimax Medicina Diagnóstica

Pesquise notícias do nosso site

Filtre as notícias por categoria

Depressão: tipos, sintomas e práticas para superá-la.

A depressão realmente é o "mal do século", muitos conhecem alguém com a doença ou já foi vítima. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão deve se tornar o segundo maior problema de saúde no mundo dentro de três anos. 

 

Atualmente, o Brasil tem o maior número de casos da doença da América Latina, ou seja, 5,8% da população sofrem de depressão. Muitos têm dificuldade de identificar os sintomas, afinal existem inúmeros tipos da doença. 

 

Tipos de depressão e sintomas

 

A dificuldade em identificar a depressão é porque ela se apresenta em diversas formas e sintomas. Isso acontece, pois, cada tipo de depressão afeta o paciente de formas diferentes e de maneiras inesperadas.


Desenvolvemos este texto com objetivo de lhe ajudar a entender as diferentes variações e intensidades da depressão. Além dos impactos que os sintomas desta doença causam no dia a dia.


Caso tenha algum dos sintomas citamos abaixo, procure um especialista para obter o diagnóstico. Continue lendo e conheça as variações da doença. 

 

Transtorno depressivo maior (depressão clássica) 

 

Como o próprio nome diz, este é o tipo de depressão mais comum e conhecido. Em um quadro de maior intensidade, há os sintomas clássicos da depressão, como tristeza, desânimo, insônia, cansaço excessivo, falta de energia, sensação de inutilidade, pouco interesse em atividades antes consideradas prazerosas, agitação, modificações no apetite e aumento peso.

 

Também são comuns pensamentos relacionados ao suicídio, morte e falta de vontade de viver. Esses sintomas são características de uma doença séria, que precisa de atenção. A boa noticia é de que ela tem tratamento, basta procurar ajuda profissional. 


Distimia 

 

A distimia é um quadro mais leve que a depressão clássica, porém, ainda precisa de atenção. Também chamado de transtorno depressivo persistente, tem uma durabilidade maior. 

 

Pessoas com distimia sofrem com mau humor, isolamento social, fadiga, pessimismo, falta de concentração e vontade de agir. Como os sintomas são de menor intensidade, é comum que os pacientes se acostumem com o prognóstico e convivam com a doença durante anos, acreditando que fazem parte da sua personalidade. 

 

Depressão pós-parto 

 

É comum que as mulheres tenham ansiedade durante a gravidez e logo depois do parto, porém, a depressão pós-parto é um quadro bem mais grave. Os sintomas da doença comumente aparecem nas primeiras semanas depois do parto ou mesmo durante a gravidez e desaparecem dentro de duas semanas. 


Os sintomas que envolvem este tipo de depressão são extrema tristeza, exaustão e ansiedade, fazendo com que fique difícil para a mãe realizar as atividades de cuidado do bebê e dela mesma. 


Confira 6 passos para ter uma gravidez tranquila clicando aqui.

 

Transtorno disfórico pré-menstrual 


Também chamada de TDPM, decorre de uma baixa no hormônio feminino, assim como a TPM. Esse tipo de depressão surge no período que antecede a menstruação e tende a terminar quando o ciclo se inicia. 


Os sintomas são bem mais severos que uma TPM, pois chegam a incapacitar a paciente. Os sintomas mais comuns são tristeza, indisposição, isolamento social e dificuldade de exercer as atividades do dia a dia. 

 

Práticas para superar a depressão 


Conseguir sair de um estado, que muitas vezes, já tem uma duração longa é um verdadeiro desafio. É preciso ter força e dar pequenos passos para a direção correta. Para lhe ajudar a superar este desafio, separamos algumas práticas, confira. 


Mantenha o convívio com pessoas 


Um dos sintomas da depressão é quando a pessoa se afasta de colegas, amigos e familiares, se isolando. Para superar a depressão, é necessário manter o convívio com pessoas. 

 

Conversas positivas fazem com que a pessoa com depressão tenha outros pontos de vistas, além de esquecer por alguns momentos de sua angustia. 

 

Tenha uma boa alimentação 

 

A alimentação tem impactos gigantescos no corpo, não é mesmo? Com a depressão não é diferente. Manter uma boa alimentação, equilibrada, faz com que o corpo tenha forças para reagir. 


Existem alimentos que ajudam a regular o humor, ideais para combater a depressão, como verduras, peixes e frutas. 

 

Tenha amor próprio 

 

Uma das principais causas da depressão é a falta do amor próprio. Subestimar tudo que você faz, não achar nada que você faz bom o suficiente, falta de confiança em si mesmo, são sintomas da falta do amor próprio.

 

Uma atitude simples é mudar de visual. Isso pode ajudar na autoestima, um pequeno passo rumo ao amor próprio. 

 

Pratique uma atividade física


Mesmo que não tenha muita vontade de levantar da cama, tente praticar exercícios. Depois de exercitar o corpo você se sentirá com o ânimo renovado e o humor melhorado. Tudo isso porque as atividades físicas estimulam a endorfina. 

 

Esperamos que estas dicas lhe ajudem a superar este desafio com sucesso. Assine nossa newsletter e continue acompanhando nossas dicas de saúde. 


E lembre-se, ao perceber qualquer sintoma de depressão, procure um médico de confiança. 


  • Compartilhar